segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

A pirataria de livros e o fim das editoras

Sim, a pirataria de livros será tão comum em alguns anos quanto é hoje a pirataria de músicas.

Se vai falir as grandes editoras, isso eu acho pouco provável, pois sempre terá gente disposta a pagar 30 reais num livro de papel, assim como ainda tem gente com acesso à internet que compra cds e, quem sabe, até vinil.

Mas em uns 5 anos, acredito que o lucro das editoras vai diminuir pela metade! Portanto, se você trabalha numa editora, é bom já ir fazendo uns cursos em outras áreas e preparando um novo currículo. Programador de livros digitais deve ser a nova profissão do futuro, já que o formato atual ainda vai evoluir bastante.

Mas antes de tudo, é bom deixar claro que o que estou tratando aqui é a popularização da leitura de livros (e-books) num leitor de livros digitais (e-reader), e não no computador, até porque eu mesmo nunca consegui ler um livro inteiro através de um monitor.

Vamos lá: o e-reader é como um mp3 player, só que em vez de rodar músicas, "roda" livros. Quem saiu na frente foi o Kindle, da Amazon, mas tem também o e-reader da Sony e inclusive já tem até uma versão brasileira que eu não lembro o nome.

Tem um monte de gente que ainda pensa que o e-reader não é tão bom quanto o velho livro. Pra mim é preconceito puro. Além de ter o mesmo tamanho que um livro comum, a tela não cansa a visão como a de um monitor, você pode ler no sol que não tem aquele reflexo tradicional dos monitores comuns, você pode aumentar o tamanho da letra, o que resolve o problema das letras miúdas dos livros impressos, você pode gravar milhares de livros e, sinceramente, acho muito mais cômodo e confortável para ler deitado do que um livro comum, que geralmente é pesado, você precisa ficar folheando, as vezes perde a página em parou... enfim, em questão de conforto, o e-reader ganha.

Aliás, muita coisa ainda pode evoluir na tecnologia e-reader. Logo mais lançarão e-books com imagens coloridas e animadas, ou que vão iniciar uma trilha sonora de suspense quando você chegar num capítulo mais sombrio do livro, já pensou? A possibilidades são infinitas. É aí que vão entrar os programadores de livros digitais.

Outra coisa: só pelo e-book levar o crédito de ser ecologiamente correto, já fará com que as pessoas se sintam na "obrigação" de abandonar os livros de papel, outro fator positivo em prol dos e-readers. Árvores serão poupadas e a poluição causada na distribuição, produção e impressão de livros cairá drasticamente. Claro que a fabricação de e-readers também tem sua parcela de poluição, mas é preciso levar em conta que um único e-reader comporta milhares de livros.

Então a sobrevivência das editoras vai depender de como e do quanto elas vão inovar a ponto de conseguir DIMINUIR a pirataria que inevitavelmente vai acontecer. Infelizmente alguns setores editoriais vão sentar no nabo mesmo, como o setor de distribuição, as livrarias comuns, as gráficas etc.

Não sei... Se as editoras começarem a vender seus e-books através dos seus sites ou mesmo livrarias comuns por uns 10 reais ou menos, o que é justo, lucrativo e socialmente responsável, talvez consigam diminuir o impacto da pirataria.

E ainda tem os audio-books. O brasileiro não é um povo que gosta muito de ler, então acho provável que os "livros narrados" fiquem tão populares (e pirateados) quanto os e-books.

Os únicos contras dos e-books é que não tem aquele clássico cheirinho de livro novo e você não vai poder mais pagar de intelectual para os seus amigos ostentando-os na sua estante.

Ah, tem também o preço: por menos de R$ 300,00 você não compra um e-reader atualmente. Quando chegar nuns R$ 150,00, eu compro o meu.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Moda: a dona da sua vida!

Moda deveria ser encarada como arte, sem padrões, sem lógica, sem simetria, sem o feio ou o bonito, apenas como arte. E isso não acontece.

Um pequeno grupo de bichas e mulheres fúteis dita o que você pode e não pode usar, baseando-se em gostos exclusivamente pessoais e tendências que nem sempre tem a ver com o clima. Criam conceitos de certo e errado na moda como se estivessem criando leis morais, como se você pudesse ser preso se usasse uma camiseta vermelha com um tênis marrom. Tem coisa mais patética que isso?

Por mim a humanidade deveria abolir a moda como cultura. Não tem nada que torna o ser humano (principalmente as mulheres) mais fútil do que a moda.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

A Mídia das mídias e os Analistas de mídias digitais

Eu fiquei um bom tempo afastado da internet, por isso ouvi o termo “analista de mídias sociais” pela primeira vez não faz muito tempo. No começo achei que era o emprego dos meus sonhos, mas depois percebi que não deve ser nada fácil ser um.

Eu peguei a internet engatinhando, mais ou menos em 97, por isso já vi muita coisa nascer e morrer de lá pra cá. Mas confesso: quando comecei a usar a internet, encarei mais como uma brincadeira, uma forma de se entreter, passar o tempo batendo papo e matar trabalho. Hoje, vendo as empresas "comprando blogueiros", fazendo virais, twittando seus produtos e montando comunidades em Orkut e afins, percebi que a internet definitivamente se tornará a maior mídia do mundo. E não é “só mais uma mídia”, é a mídia que vai engolir as outras mídias, a Mídia das mídias.

Então baseado no que venho lendo nos últimos meses e em palpites prepotentes, em verdade vos digo:

Assim como os discmans e os cds, os livros impressos vão praticamente desaparecer, graças aos e-books e aos leitores de livros digitais, assim como também aos audiobooks e aos podcasters. A pirataria de livros será idêntica a pirataria de músicas que, acredite, ainda está só começando. E aquele papo romântico de que “ah, mas o cheirinho do papel do livro é maravilhoso” é o mesmo argumento dos velhos e cada vez mais raros colecionadores de vinis.

Jornais e revistas impressos também vão desaparecer, só sobreviverão os que estiverem online. Apostilas escolares também serão digitais a partir da 4ª ou 5ª séries (isso porque a escrita a mão ainda é fundamental, mas no futuro isso não será necessário). E isso não vai acontecer só por causa da internet, mas porque nossos filhos já estão aprendendo na escola que derrubar árvores é coisa de bandido.

O BlueRay vai morrer na adolescência: filmes e séries só pela internet, pirateado ou alugado. A TV só não vai perder todo o seu lucro para a internet porque será forçada a baixar os preços das inserções, para poder concorrer. Mas isso também poderá vir a ser um tiro no pé, pois como terá cada vez menos dinheiro para investir em entrenimento de qualidade, também vai acabar desaparecendo aos poucos, ou mudar o formato se tornando parte da própria internet. Enfim, só para citar o que estou lembrando no momento.

Então quando dizem que diversos tipos de negócios precisam ficar mais online, na verdade estão querendo dizer o óbvio: o futuro é definitivamente digital.

Por isso eu me acho um ignorante por não ter escutado antes a expressão “analista de mídias sociais”, pois essa é a profissão do futuro, porque eles escreverão livros (digitais) tentando convencer o mundo a entrar (pra valer, não pra aparecer) na internet. Sorte das empresas que os escutarem.

Por essas e outras que eu digo: empresas, não tenham medo da internet e das redes sociais, pois logo chegará o dia em que TODOS estarão nela.

Ou tenham medo sim, daquele belo dia em que uma tempestade solar vai destruir tudo o que é digital, causando um apagão global. Como tudo nessa vida, a internet também terá seu fim.

Assinado: Danilo Bernardino – o profeta. rs

terça-feira, 22 de setembro de 2009

O troco do abandono

Existem pessoas que vivem morrendo nas esquinas, nas praças, nas calçadas...

Crianças magras descalças e drogadas, violentadas e prostituídas...

Submundo, subvida!

Existem os catadores de papelão, de latinha, trabalham por um copo de pinga.

Muitos vivem no lixo, alimentam-se do lixo e confundem-se ao lixo.

Ainda há os que furtam, roubam, matam... Para alimentar o vício, a fuga da realidade.

Eles não sabem sorrir, não vivem o amor... Conhecem apenas a fome, a revolta e a dor.

Esse processo de fermentação social ao qual vivemos aponta a um infeliz desfecho...

Seremos um milhão sem pão e meia dúzia com medo.

Marcelo Reis, inverno 2009.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

CruSSificados

Era um blog criado pelo webdesigner Danilo Bernardino e alguns amigos de Barueri, que resolveram criar um blog para criticar outros blogs. Tornou-se muito conhecido na chamada blogosfera entre 2003 e 2004 por seu estilo de humor ácido contra outros blogueiros, logo fazendo escola, pois outros blogs do mesmo estilo logo se seguiram, sendo o mais famoso deles o Queima Jesus.

O Crussificados foi diversas vezes citado nos cadernos de informática de vários jornais, tais como O Dia e Estadão, além de receber 3 vezes a indicação no What's Updo Blogger.com.br.

Blogs de todos os tipos eram criticados, e a crítica do dia era sempre chamada de crussificação (com dois esses mesmo), uma ironia aos erros de Português, muito comuns entre blogueiros. Sua frase-título era "Se nem Jesus Cristo agradou todo mundo, não é eu que vai agradar". O Crussificados aceitava críticas de terceiros, desde que não fossem críticas do próprio blog. Com o tempo alguns antigos leitores colaboradores passaram a fazer parte da equipe regular, e muitos consideravam o ponto alto do blog o sistema de comentários, quando muitos dos que eram criticados iam se defender. Alguns aceitavam a brincadeira; outros, nem tanto.

Volta e meia, Danilo fazia algumas pegadinhas com seus leitores, como o dia em que teria morrido, ou a vez em que a senha teria sido roubada. Em 2005, o blog foi tirado do ar após ter publicado fotos de uma garota de calcinha. Danilo acusou-a de ter pedido ao Blogger que este fosse deletado, porém muitos dos leitores acreditam que essa tenha sido mais uma farsa, para justificar uma espécie de "saída por cima", uma vez que o sucesso à época já havia diminuído, até mesmo pela queda do fenômeno blog frente ao Orkut.

http://www.jornallivre.com.br/69942/o-que-significa-fenomeno-da-internet.html


-----------

Novo endereço do CruSSificados: http://www.crussificados.com.br/

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Bondade altruísta existe?

Já tinha visto a tradução de Offer, da Alanis, mas nunca linkei uma coisa com a outra. Observando o vídeo abaixo, fica evidente a sua verdadeira tradução.



Segue trecho de um texto antigo meu falando sobre o assunto:

E com o tempo você vai aprendendo que as pessoas são mais hipócritas e egoístas do que você pensa, porque ninguém (incluindo você) faz o bem porque é realmente bom, mas porque praticar bondade satisfaz a sua própria vaidade. E mesmo a sua mãe, aquela “santa” que só dorme depois que você chega bêbado da balada as cinco da manhã, só se preocupa com você porque ELA MESMA não quer sofrer caso te aconteça algo de ruim, ou porque ela adora mostrar para o seu pai e para os vizinhos que é uma boa mãe. É como um marido que só traz flores para a esposa e diz que a ama porque, no fundo, só quer ter transas cada vez melhores.

E aprende que mesmo você quando sente dó ou vontade de ajudar alguém, isso não tem nada a ver com o fato de você ser bonzinho, mas porque VOCÊ não queria estar na pele daquele desgraçado. E se um miserável lhe pede um prato de comida, você só o ajuda porque isso faz você, exclusivamente VOCÊ se sentir bem. E pra ser sincero, você até sente um certo prazer ao ver a desgraça alheia.


Escrevi esse texto faz uns 3 anos, mas ainda continuo concordando comigo!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Dicionário Indiano - Português

Are – Usado para chamar a atenção (Ex: ô mano), também usado para identificar que entendeu algo (Ex: to ligado)

Are Baba – Indignação Ex: (puta que o pariu, ma que merda, não fode, a vá)

Are baguandi – Espanto (Ex:Ma que merda, ma que caraio)

Baguan Keliê - Susto Ex: puts que cagada

Atcha – Quando se concorda com algo Ex: massa, tesão

Atchatchatchactha – Quando se concorda muito com algo Ex: Tesão pacaralho

Firangui – Biscate

Tik – pode crer

Tik Tik – Pode crer to ligado

Tik Tik Tik – Pode crer to ligado na parada

Tchâlo – calma fio, calma fia

Mamadi – Véia

Dadi - Véio

Nahim – nem fudendo

Shukriá – Valeu aí mano

Namastê – vai na fé, e aí

Chai – Pinga, cachaça, véio barrero

___________

P.S. 1: Não sei o autor, recebi por email.
P.S. 2: Não me pergunte sobre qual time de futebrol está em primeiro lugar no campeonato, mas se perguntar qualquer coisa sobre novela das 8h, não se assuste se eu souber mais que minha mulher.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Quem ama não trai?

Não, eu não acredito em fidelidade porque não acredito em amor incondicional.

Não acredito em fidelidade porque o ser humano é um animal - seja homem ou mulher - e é um escravo dos hormônios, dos desejos, dos instintos. Cedo ou tarde todos acabam traindo, com ou sem motivo. O ser humano não foi projetado para ser monogâmico, apenas para procriar. É o que ordena os seus genes, a sua natureza.

Ninguém é fiel porque não sente de vontade de trair. E se você sentisse?

Ninguém é fiel porque não tem oportunidades. E se você tivesse?

Ninguém é fiel por culpa. E se você não tivesse medo?

Ninguém é fiel porque acha traição uma covardia. E se você não tivesse pena?

Não trai por respeito? Por amor a pessoa?

Todo amor é amor próprio. Você ama porque precisa amar, por necessidade, não por respeito a alguém. Você ama porque te faz bem.

E o mesmo serve para a fidelidade: se trair te fizer bem, você vai trair!

Não existe "ser fiel". Existe "estar fiel".

Esqueça as novelas, os livros e os filminhos de comédia romântica que você assiste: o amor é egoista, assim como todo desejo humano. Simples.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Michael Jackson is dead!



E nada melhor que uma piadinha para prestar a última homenagem.
Estou sendo insensível? O que mais posso fazer, chorar?

O cara morreu faz tempo. Não gravava mais nada, não fazia mais shows, mal saía de casa e ninguém sentia falta. Agora só porque ele morreu pra valer, porque ficar se lamentando?

O sucesso que ele fez foi imenso e suas músicas, seus clipes, suas performances eram, há 1 mês, exatamente o que são hoje: lembranças (boas, admito, mas apenas lembranças).
Mas nada mudou com a morte dele. Quer dizer, mudou sim, algumas milhares de pessoas que pagaram caro pelo ingresso dos seus shows em Londres agora ficarão entre a cruz e a espada, entre pegar o dinheiro de volta ou guardar o ingresso como lembrança de um show que nunca mais acontecerá.

Seja o rei do pop ou seja um pagodeirinho de porta de buteco: um artista morre quando seu trabalho morre. Então Michael Jackson já estava morto há muito tempo, por isso não me conformo porque, só agora, todo mundo resolveu chorar.
É como disse Dr. House, se você está morrendo, todo mundo passa a te amar.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Tristeza de uns, alegria de outros

Globo, Jornal SP-TV: menina morre baleada. Clima triste, repórter com cara fúnebre. Corta. Cena no Hospital de Transplante, onde outra criança receberá orgão da menina. Clima de festa e felicidade, repórter e a mãe do menino com um sorriso de orelha a orelha.

Fico feliz pela morte da menina ou triste pelo transplante do menino?

Não, eu não sou insensível. O editor do SP-TV que é!

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Lei anti-Serra

Deveriam proibir o governador Serra em bares e restaurantes! Juro por Deus, eu gostaria muito de ter um bar que o nosso excelentíssimo filho da puta governador José Serra frequentasse, só pelo prazer de poder barrá-lo na entrada e dizer: "não gosto de políticos".

Sim, porque até agora eu não entendi as razões dessa lei anti-fumo. Poluição, câncer, doenças? Tá, mas se eu tenho uma área ABERTA no meu bar ou na minha empresa que é exclusiva para fumantes, cadê a porra do problema? "Mas é que polue o ar". Ok, então vamos proibir carros de circular nas ruas e vamos fechar todas fábricas que emitem CO² em São Paulo.

"Mas é que de acordo com Instituto Nacional do Câncer, 7 brasileiros morrem a cada dia por doenças provocadas pela exposição passiva à fumaça do tabaco".

Tá, e segundo o Laboratório de Poluição Atmosférica da Faculdade de Medicina da USP, "a poluição provocada pelos veículos mata indiretamente, em média, quase 20 pessoas por dia só na região metropolitana de São Paulo".

Segundo vários outros pesquisadores, a poluição industrial e automotiva está ligada a várias doenças autoimunes, como tireoidite crônica autoimune, lúpus eritematoso sistêmico, síndrome de Sjogren, vitiligo e esclerose múltipla etc, isso sem contar problemas respiratórios e cardiovasculares. Tem também artrite reumatoide, que com o tempo faz a pessoa perder o movimento das áreas atingidas.

Enfim, existem centenas de doenças ligadas a poluição que não vem só do cigarro. E existem mortes por conta dessas doenças. Tem também o álcool que causa dependência, doenças e mortes, por que não proibem?

Tem também carros que atropelam, alimentos que matam e tem até religiões que manipulam seus fiéis de que Deus cura câncer e que você só precisa ter bastante fé que a cura simplesmente acontece.

E porque os deputados aliados do José Serra não proibem tudo isso? Já sei: é mais fácil "bater em criança" do que enfrentar os gigantes da indústria automobilística ou as fábricas poluidoras, né? Justiça conveniente do caralho, que se aproveita da ignorância de muitos para foder com a liberdade de poucos.

O problema é o mau cheiro, é ruim, incomoda? Ok, eu por exemplo tenho rinite e tenho sensibilidade a cheiros fortes. Então vamos proibir gente fedida em trens e ônibus.

Também quero proibir gente que usa perfumes fortes, pois ataca minha rinite. Ah, todas as empresas também devem retirar aparelhos de ar condicionado de seus locais de trabalho, pois também ataca minha rinite.

E a polícia? Com certeza vai adorar essa nova lei anti-fumo, vai receber salário só pra ficar dando multas em dono de bar. Enquanto isso na favela...

Imagine a indecisão do policial: "O que faço? Arrisco minha vida trocando tiros com traficantes armados com fuzil ou vou pra algum bar expulsar fumantes?"

Enfim, o Serra é um ditador, repressor inimigo da liberdade que há séculos o ser humano tenta conquistar e conservar. E ele também é careca, e eu não gosto de carecas. Que tal proibirmos carecas em bares e restaurantes também?

quarta-feira, 29 de abril de 2009