terça-feira, 22 de setembro de 2009

O troco do abandono

Existem pessoas que vivem morrendo nas esquinas, nas praças, nas calçadas...

Crianças magras descalças e drogadas, violentadas e prostituídas...

Submundo, subvida!

Existem os catadores de papelão, de latinha, trabalham por um copo de pinga.

Muitos vivem no lixo, alimentam-se do lixo e confundem-se ao lixo.

Ainda há os que furtam, roubam, matam... Para alimentar o vício, a fuga da realidade.

Eles não sabem sorrir, não vivem o amor... Conhecem apenas a fome, a revolta e a dor.

Esse processo de fermentação social ao qual vivemos aponta a um infeliz desfecho...

Seremos um milhão sem pão e meia dúzia com medo.

Marcelo Reis, inverno 2009.

3 comentários:

Engraçadinha disse...

Texto do caralho esse!

Marcelo disse...

Dâ, valew postar... Queria escrever mais "rosas" e menos "espinhos" mas não há como fechar os olhos para essa infeliz realidade e calar-se é necessáriamente tornar-se conivente... Até quando os muros dos condomínios irão separar o lixo do luxo? Abraço irmão!

Dani Antunes disse...

Texto do caralho esse! [2]

Nem tem mais o quê dizer depois disso! ;)

Bj